Botox pode ajudar no tratamento de depressão, diz estudo

O botox é nome popular dado à aplicação de toxina botulínica no rosto e corpo, um tratamento estético que reduz as rugas e linhas de expressão, enxaqueca, transpiração excessiva, entre outros. De acordo com um estudo, o procedimento também pode ajudar no tratamento de depressão.

A depressão é uma condição de saúde mental marcada por sentimentos contínuos de desesperança e tristeza. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), esse transtorno afeta mais de 264 milhões de pessoas em todo o mundo. 

Leia também: Ingredientes naturais que valem por um botox

comer bem e cuidar da mente

O que dizem o estudo

A pesquisa foi feita na Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, e publicada na revista Scientific Reports. Os pesquisadores utilizaram dados de 40 mil pessoas para entender o que elas sentiam após um tratamento com botox.

Desse modo, após analisar os dados, a equipe usou um algoritmo matemático para buscar diferenças significativas entre usuários de botox e pacientes que receberam outros tratamentos para as mesmas condições.

Leia também: Yoga facial: O que é, benefícios e como fazer

Assim, os especialistas descobriram que a depressão nas pessoas que receberam injeções de toxina botulínica em áreas diferentes do corpo foi 40 a 80% menos frequente.

Contudo, os pesquisadores afirmam que são necessárias mais pesquisas para determinar com precisão que o botox atua como antidepressivo.

Além disso, outro estudo feito em 2017, no Irã, avaliou 28 pessoas com depressão ao longo de 6 semanas. Desse modo, os participantes receberam injeções de botox e, no final do estudo, os sintomas de depressão melhoraram mais do que aqueles que receberam placebo.

Leia também: Como lidar com a depressão durante a quarentena

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo