BodyTalk: Terapia para tratar dores físicas e emocionais

Quando estamos com dores físicas ou emocionais, o nosso organismo tem a capacidade de revelar quais órgãos estão afetados e precisam ser tratados. Isso ocorre por meio da técnica BodyTalk.

A BodyTalk – também chamada de Técnica do Córtices – é uma terapia que tem como objetivo entender a linguagem corporal por meio da inteligência inata. Desse modo, essa sabedoria é responsável por administrar o que acontece no organismo e equilibrar a saúde do corpo. Além disso, o método não é invasivo e não está relacionado a qualquer religião.

Leia também: Terapia do renascimento: Como funciona e benefícios

O australiano John Veltheim criou a técnica BodyTalk em 1995, com o intuito de restabelecer a comunicação entre o corpo e a mente. Para John, quando o indivíduo está apresentando sintomas de alguma doença física ou emocional, há um problema comunicacional entre esses dois elementos.

comer bem e cuidar da mente

Como funciona a terapia BodyTalk

Nas sessões de terapia BodyTalk, o terapeuta realiza a aplicação de um teste chamado Biofeedback Neuromuscular no braço do paciente e faz perguntas ao corpo. Através de contrações musculares, é possível obter respostas de “sim” ou “não”, detectando o que é prioridade para o corpo do paciente. Por exemplo, o braço tenso significa uma resposta negativa, já o braço mais leve, uma resposta positiva.

Leia também: Terapia corporal reichiana: O que é e como funciona

Após essa etapa, o que foi dito e feito ao longo do tratamento será implementado no cérebro e corpo do paciente. A partir disso, o corpo começa o processo natural de cura e autocuidado, despertando a inteligência inata.

Geralmente, a sessões da BodyTalk costumam durar cerca de 30 minutos a uma hora e devem ser feitas por um profissional especializado no método. Além disso, não há restrições e contraindicações para iniciar a terapia, pois ela não causa efeitos adversos.

Leia também: Kundalini Yoga: Conheça a prática e seus benefícios

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo