Beber café diariamente reduz risco de pressão alta, diz estudo

Beber café reduz a pressão arterial? Segundo um estudo recente, sim. A pesquisa foi realizada ao longo de 4 anos com mais 8 mil pessoas e concluiu que beber café diariamente pode reduzir o risco de pressão alta.

Promovido pela Universidade de São Paulo (USP), o estudo analisou esse hábito particular dos participantes. Não só, analisou também seus estilos de vida, bem como seus exames de sangue. Ainda, foram feitas medições regulares de pressão arterial.

Leia também: Café ou chá: Qual é mais saudável?

Café x pressão arterial

Basicamente, os participantes foram divididos em quatro grupos. Pessoas que não bebem café, pessoas que bebem no máximo uma xícara de 50 ml por dia, pessoas que bebem até 3 xícaras diariamente e pessoas que bebem mais que isso.

Além disso, a alimentação dos voluntários também foi levada em consideração, assim como outros hábitos como: consumo de bebidas alcoólicas, ingestão de frutas e vegetais, consumo de alimentos ricos em sódio, açúcar e gordura saturada e o tabagismo.

Por fim, após a longa análise de todos os hábitos de cada um dos grupos, foi possível concluir que há uma clara relação entre o consumo moderado de café (1 a 3 xícaras por dia) com um menor risco de hipertensão. Ou seja, as pessoas que não bebem café como parte de sua rotina diária são mais propensas a ter pressão arterial alta. A maioria dos participantes relatou consumir a bebida com cafeína, filtrada/coada e com adição de açúcar, o que corresponde ao hábito tradicional de consumo de café pelos brasileiros

Em resumo, a redução da pressão arterial ao beber café é principalmente resultado da grande quantidade de polifenóis presentes no café. Os polifenóis são compostos bioativos que, além de prevenirem a hipertensão, promovem ação anti-câncer, anti-inflamatória e antioxidante.

Leia também: Café pode prevenir diabetes, diz estudo

Outras bebidas ricas em polifenóis são:

Leia mais: Vinho e chocolate podem ajudar a prevenir doenças sérias

emagreça com jejum intermitente

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo