Bardana: Conheça a planta medicinal e seus benefícios

A bardana, também chamada de orelha de gigante e pega-moço, é uma planta rica em nutrientes e nativa do continente europeu. Ela pode ser usada de diversas maneiras, inclusive no tratamento de problemas gastrointestinais e digestivos, contra acne, na prevenção da diabetes e mais.

Benefícios da bardana

Protege a saúde do estômago

A princípio, a gastrite é apenas um exemplo de problema que o estômago pode apresentar. Não só, dores e irritações diversas podem prejudicar a saúde estomacal e causar desagradáveis efeitos colaterais. Por ser calmante, a bardana pode aliviar tais sintomas.

Leia mais: Alimentos que ajudam a controlar a gastrite

Previne a retenção de líquido

Diurético, o chá de bardana ajuda no fluxo de urina e previne que o organismo retenha líquido. Além disso, a retenção hídrica também é parcialmente responsável pelo aparecimento de celulites no corpo e até do sobrepeso.

Combate insônia, estresse e ansiedade

Calmante, a planta é conhecida por promover um sono mais calmo, longo e relaxante. Assim, especialmente na forma de chá, a planta medicinal pode ajudar a combater a insônia, aliviar sintomas de estresse e ansiedade.

Ajuda a controlar a glicose

A glicose, o nível de açúcar presente no sangue, deve ser mantida sob controle. Em excesso, pode levar ao diagnóstico de diabetes. Porém, a bardana consegue controlar o nível de insulina no sangue.

Promove uma pele mais saudável

Bardana é cicatrizante, antibacteriana e anti-inflamatória. Assim, pode auxiliar no tratamento de eczemas, acne e demais condições de pele, garantindo um aspecto mais saudável. Além disso, um popular remédio caseiro para espinhas é passar o chá de bardana na pele, porque a planta melhora a função das glândulas sebáceas e possui propriedades antissépticas que ajudam a limpar a pele.

Como usar a bardana

  • Chá (feito usando a raiz da planta)
  • Óleo essencial
  • Cápsulas
  • Infusão
  • Tintura
  • Pomada e remédios caseiros

Por fim, a planta é contraindicada para grávidas, crianças e em pacientes com diarreia.

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo