fbpx

Azeite de oliva pode prevenir demência

O azeite de oliva é conhecido por fazer bem à saúde, diminuindo os riscos de colesterol alto e doenças cardíacas. E também é muito utilizado em refeições saudáveis.

Além disso, recentemente alguns estudos sugeriram que o azeite também possui benefícios cognitivos e neuroprotetores. A razão disso é por ele ser rico em polifenóis.

Leia também: Malhar pode reduzir o risco de demência

O que dizem as pesquisas 

Um desses estudos, publicado na  Medical News Today, descobriu que o azeite extra virgem reduziu os primeiros sinais da doença de Alzheimer em camundongos. 

Já em outra pesquisa feita na Temple University, nos Estados Unidos, os especialistas analisaram o efeito do azeite nas “taupatias”. Essas são condições cognitivas relacionadas à idade em que a proteína “tau” se acumula a níveis tóxicos no cérebro, desencadeando então várias formas de demência.

Portanto, para explicar melhor a proteína tau, na doença de Alzheimer e em outros tipos de demência, ela se acumula no interior dos neurônios na forma de um “emaranhado” tóxico.

Com isso, foram feitos diversos testes e cerca de um ano depois, as pesquisas revelaram que os roedores que não receberam uma dieta enriquecida com azeite de oliva,  eram mais propensos a adquirir taupatia. 

Sendo assim, para os pesquisadores concluírem isso com clareza, é preciso mais estudos.

Benefícios do azeite de oliva

  • Contribui para o controle do colesterol e favorece a saúde cardiovascular;
  • É rico em antioxidantes e pode ajudar a reduzir o risco de melanomas malignos;
  • Possui ação anti-inflamatória;
  • Fonte de gordura mono e poli-insaturada, benéficas para a saúde;
  • Fonte de vitamina E.
 
 

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo