Autoliderança: Qual a importância e como desenvolver

Quando ouvimos a palavra liderança, grande parte das pessoas imaginam uma personalidade liderando um grupo, ordenando e organizando tarefas. Contudo, antes de liderarmos os outros,  é importante trabalhar a autoliderança.

A autoliderança é nada menos que a capacidade do indivíduo de gerenciar seus próprios comportamentos e pensamentos, para assim atingir seus objetivos. O termo surgiu pela primeira vez nos anos 1980 por Charles Manz, professor da Universidade de Massachusetts.

Dessa forma, por meio da autoliderança é possível desenvolver pensamentos e comportamentos benéficos, como por exemplo, a autoconfiança, resiliência e o foco. 

Principalmente em um ambiente de trabalho, isso é fundamental para proporcionar ao profissional autonomia e domínio para direcionar a sua carreira e a de outros colaboradores, gerando mais resultados. Além disso, ao se liderar, as situações imprevisíveis também são resolvidas com mais facilidade.

Leia também: Mindful leadership: Benefícios da liderança consciente

comer bem e cuidar da mente

Como desenvolver a autoliderança

Colocar a autoliderança em prática pode ser uma tarefa difícil para alguns. Isso porque envolve diversos fatores e é necessário comprometimento total do indivíduo. Entretanto, com algumas dicas você pode alcançá-la, veja logo abaixo:

Autoconhecimento

Um dos fatores principais para trabalhar a própria liderança é o autoconhecimento. Pois com ele, o profissional terá mais consciência sobre si mesmo e mais clareza na tomada de decisões.

Leia também: Ho’oponopono: A técnica havaiana do perdão e seus benefícios

Buscar novos conhecimentos

Estar em constante evolução é imprescindível. Dessa maneira, superando as limitações, adquirindo capacidades e, especialmente, buscando novos conhecimentos.

Portanto, esteja aberto a novos aprendizados todos os dias. Você pode optar por aperfeiçoar suas habilidades por meio de cursos, palestras, etc. 

Responsabilidade para ter autoliderança

Se você não for responsável, não terá autoliderança. Ter responsabilidade é a chave para a construção dessa competência emocional, para que o indivíduo se comprometa seriamente com seus princípios e valores.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo