Como os alimentos processados afetam o coração

Todos já ouvimos falar que alimentos processados não são uma escolha saudável e nutritiva. Cada vez mais, as pesquisas vêm apontando a relação entre o consumo desses alimentos e problemas cardiovasculares.

Segundo uma pesquisa do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, apresentada em um encontro de saúde na Filadélfia em 2019, alimentos processados e ultraprocessados, como refrigerantes, bolachas, embutidos e batata frita, podem impactar negativamente a saúde do coração.

Malefícios dos alimentos ultraprocessados

A pesquisa entrevistou mais de 13 mil pessoas, as quais registraram seus hábitos alimentares diários e responderam a perguntas sobre saúde cardiovascular.

A análise evidenciou que, para cada aumento de 5% em calorias de alimentos ultraprocessados ​​que uma pessoa comia, havia uma diminuição correspondente na saúde cardiovascular geral.

Adultos que ingeriram aproximadamente 70% de suas calorias de alimentos ultraprocessados ​​tinham metade da probabilidade de ter uma saúde cardiovascular “ideal” em comparação com pessoas que ingeriam 40% ou menos de suas calorias de ultraprocessados.

Os ricos para a saúde se devem ao fato de tais alimentos estarem fortemente associados à piora da pressão sanguínea, do colesterol e do nível de glicose no sangue. Ademais, provoca o aumento de peso e aumenta a tendência ao sedentarismo.

Além de serem extremamente nocivos para o coração, esses alimentos podem prejudicar outras partes do corpo. Portanto, a atenção deve ser redobrada para o seu consumo, visto que eles realmente fazem muito mal à saúde, como:

  • Prejudicar mecanismos que indicam a fome e a saciedade;
  • Favorecer desenvolvimento de alergias e intolerâncias alimentares;
  • Comprometer o funcionamento dos rins (altos níveis de sódio);
  • Causar distúrbios estomacais e intestinais (exemplo: gastrite).

Leia também: Alimentos que protegem o coração

O que é comida processada exatamente? 

A verdade é que a maioria dos alimentos que ingerimos, mesmo os mais saudáveis, é tecnicamente processada. Laticínios? Processados. Aveia? Processada. Amêndoas? Processadas. Dessa forma, esses alimentos precisam passar por algum tipo de processamento entre a colheita e a mesa, a fim de serem seguros e palatáveis ​​o suficiente para serem consumidos.

Assim, alimentos processados ​​não saudáveis ​​são os que são excessivamente processados, ou seja, “ultraprocessados”. Eles passam por processos industriais (por exemplo, adição de açúcar, sal, gordura, fritura, corantes) que prolongam a vida útil, tornam os alimentos extremamente palatáveis ​​e os que são projetados para serem prontos para o consumo.

Normalmente, os ultraprocessados ​​mal se assemelham ao seu estado original ou foram desenvolvidos em laboratório. Eles geralmente têm uma lista maior de ingredientes, e não têm qualquer valor nutricional real. Podem ser ricos em sódio, gordura saturada e açúcar.

Leia também: Dieta mediterrânea: Saiba como fazer e os benefícios para a saúde

Quais alimentos devo evitar?

Em síntese, os alimentos ultraprocessados são aqueles que passaram por técnicas e processamentos com alta quantidade de sal, açúcar, gorduras, realçadores de sabor e texturizantes. São exatamente esses que você deve evitar para garantir a boa saúde do coração:

  • Enlatados
  • Embutidos (exemplo: presunto)
  • Congelados
  • Preparações instantâneas
  • Refrigerantes

Leia também: As melhores proteínas para a saúde do coração

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo