Acônito: Propriedades e benefícios da flor azul

O acônito é uma planta nativa da Europa que, se consumida in natura, é tóxica. Porém, costuma ser utilizada no preparo de tinturas (na farmacotécnica, uma tintura é um extrato alcoólico de, por exemplo, uma erva) e demais produtos naturais.

Ela é conhecida por suas flores azuis. Também costuma ser chamada de matalobos (na fantasia, ela é uma erva capaz de matar lobisomens), carro de Vênus, capacete de Júpiter e anapelo azul.

Entre as propriedades do acônito encontra-se o ácido cítrico, o ácido succínico, o ácido tartárico, entre outros.

Benefícios do acônito

Ajuda no tratamento de problemas psicológicos

O acônito pode ser muito útil para o tratamento de questões psicológicas como fobias. Por isso, as propriedades antidepressivas da planta costumam fazer parte de remédios para ansiedade, pânico e demais questões ligadas à saúde psicológica.

Estômago saudável

Além disso, a raiz da planta possui propriedades que promovem a boa saúde do estômago, especialmente pois aliviam dores decorrentes de problemas como a gastrite, o refluxo gastroesofágico e mais.

Leia também: Genciana: O que é, propriedades e benefícios

Alivia os sintomas de doenças inflamatórias

Ainda, a planta é naturalmente anti-inflamatória, por isso, alivia os sintomas de doenças causadas por inflamações, por exemplo, problemas respiratórios, como gripe e resfriados. Portanto, alivia a tosse, dores de ouvido, bem como dores na garganta.

Para que serve e como utilizar o acônito

  • Na forma de tintura (é necessária a recomendação de um especialista em fitoterapia)
  • Como planta ornamental – devido à beleza de suas flores azuis, ela pode ser encontrada em casas como parte da decoração
  • No preparo de variados medicamentos, especialmente aqueles ligados à saúde mental

Cuidados ao utilizar e possíveis efeitos colaterais do acônito

Entre os efeitos colaterais derivados do uso do acônito é possível citar a ocorrência de paradas cardíacas, paralisias e mais. Ainda, a planta é especialmente contraindicada para gestantes, lactantes, crianças pequenas e pacientes de hipertensão.

Leia também: Chá de perpétua roxa: Benefícios e como preparar

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo